Net Cafe Refugees

Eu moro na Lan House” — dizia o garoto nos tempos áureos do Counter Strike, em que ele passava a madrugada jogando com os amigos. Quem nunca.
Anos depois a metáfora “morar na Lan House” acabou virando fato, pelo menos no Japão. Seus moradores são os Net Cafe Refugees.

Sem amigos na cidade e impossibilitados de voltar para casa após perderem o trem, os japoneses precisavam de um local para passar a noite. O hotel era caríssimo, o hostel era caro.
Percebendo que eram muitos os que perdiam o trem mas poucos os que tinham condição de pagar uma hospedagem usual, as Lan Houses capturaram a oportunidade de mercado. Uma vez que já operavam à noite, seria só colocar chuveiro e colchonete para abrigar os passageiros que ficaram para trás. Assim as Lan Houses viraram também uma espécie de low profile hostel, mas para emergências.

Crise econômica e crescente desigualdade social trouxeram dificuldades aos japoneses, em especial os situados nas grandes cidades. Sem dinheiro para sequer alugar um apartamento e com poucas perspectivas no interior, o único jeito de manterem-se na metrópole seria buscar um teto mais barato. Foi assim que as Lan Houses viraram favelas, e seus “refugiados” os Net Cafe Refugees.
O vídeo abaixo mostra o dia a dia dessas pessoas. Recomendo o play, pois esse mini-documentário é realmente muito bem feito.
https://vimeo.com/121705174

Pelas imagens do vídeo eu estimaria a área desse “apartamento” em 2 m², sem contar o banheiro comunitário e a lanchonete.

Vamos então analisar a planta de um apartamento de 19 m², localizado na Vila Olímpia, construído pela Vitacon, cujos apartamentos (de 19m²) foram todos vendidos em apenas 1 dia por R$ 266 mil.

netcafe_planta_small

Observe que a “área habitável” é de 15.6 m². Não sei se faz muito sentido falar em cômodos mas, descontando a área do banheiro e da cozinha, temos um quarto de 10.5 m².
Ou seja, R$ 266 mil compram 10 m² em São Paulo, enquanto 2 m² em Tókio são acessíveis a um operário desempregado. Talvez isso mostre uma tendência.

Portanto se você quer continuar na metrópole, é bom não ser claustrofóbico. E mais, talvez no futuro até viajar acabe ficando mais apertado.

Continue Lendo

Eu, o Taxista e o Uber Conversei pessoalmente com um taxista para saber o que ele achava do Uber. O relato completo você lê nesse post.
Uber e a Essência do Capitalismo A revolução tecnológica da última década modificou relações econômicas. O Uber é um exemplo disso e vem incomodando alguns, mas não clientes....
Casamento Gay e Liberdade Quem milita contra o casamento gay não está defendendo a família tradicional, mas afrontando o direito às liberdades individuais.

Newsletter do Mercador

Receba conteúdo exclusivo por e-mail

Respeitamos sua privacidade e não mandamos spam. Você pode cancelar sua inscrição quando quiser.

Categorias: Cotidiano

Tags:

Deixe um Comentário

2 Comentários em "Net Cafe Refugees"

avatar
mais novo mais antigo mais votado
Marcos Torres
Visitante

Que vídeo depressivo!
Cada País com seus problemas…
Mt bom, parabéns!