Mozart e as galinhas: Um conto sobre Criação de Riqueza

Como acontece a criação de riqueza? Será que para um ficar rico, outro precisa empobrecer? E se a desigualdade aumentar na sociedade, com certeza ela se tornará um lugar pior?

Tio Guido, seu sobrinho Lucas, Mozart e as Galinhas: Um breve conto sobre a Criação de Riqueza

Era uma vez um pequeno país chamado Pollândia, conhecido mundialmente por sua tradição granjeira. Nesse país haviam inúmeras granjas, uma delas era a do Tio Guido.
Desde garoto Tio Guido criou suas galinhas com amor e carinho, e cada uma delas o agradecia botando 10 ovos por semana. O país era tão bom para granjas que todas as galinhas do país botavam 10 ovos por semana. Conforme os hábitos locais, nos finais de semana cada granjeiro ia à feira vender seus ovos, e como todas as galinhas eram igualmente produtivas, o preço praticado por livre mercado era de $1 por ovo. Essa foi a rotina do Tio Guido e de todos os granjeiros em Pollândia por anos, e continuaria sendo se nada mudasse.

\text{ renda de } 1 \text{ galinha normal} =10 \text{ ovos por semana } * \ \$ 1 \text{ por ovo} = \$ 10 \text{ por semana}

Do outro lado do mundo estava Lucas, sobrinho do Tio Guido, em férias e com vontade de fazer um intercâmbio. Todos os dias ele cobrava seu pai por uma oportunidade de viver experiências em um país distante, além de aprender sânscrito, e em Pollândia todo mundo falava sânscrito. Lucas também gostava muito de música, em especial as composições de Mozart, e por isso sempre levava consigo um rádio de pilha, para ouvir as composições do seu compositor austríaco favorito.

Era um fim de tarde melancólico quando Tio Guido ligou para seu irmão, queria matar as saudades de quem morava tão longe. Após contar todas as novidades Tio Guido convidou Lucas para passar uma temporada na granja, assim o garoto vivenciaria a experiência internacional que tanto desejava. Ficou acordado que Tio Guido daria um dinheiro para que o sobrinho pudesse conhecer o país e fazer seus passeios, mas em troca ele deveria ajudar na granja durante o dia. Convite prontamente aceito, seu sobrinho desembarcou na terra das granjas com seu radinho de pilhas tocando Mozart dia e noite.

No começo Lucas estranhou um pouco, mas logo pegou o jeito; passava o dia tomando conta das galinhas e ouvindo Mozart, à noite saía, aos finais de semana ia à feira ajudar seu tio com as vendas.
Passadas quase duas semanas de sua chegada, Lucas começou a perceber algo diferente e interessante. As galinhas do Tio Guido não estavam mais botando 10 ovos por semana, como faziam todas as galinhas do país; elas agora estavam botando 20 ovos por semana. Seria um milagre? Tio Guido veio inspecioná-las e ficou impressionado, mas pediu que Lucas guardasse segredo. Domingo tinha feira, e Tio Guido queria confirmar se ele era o único “sortudo” da nação. E era.

\text{ renda de } 1 \text{ galinha otimizada} =20 \text{ ovos por semana } * \ \$ 1 \text{ por ovo} = \$ 20 \text{ por semana}

Se Tio Guido já amava Lucas em decorrência dos laços genéticos, agora tinha mais um motivo para querê-lo bem: seu sobrinho o deixaria rico.
Juntos eles inspecionaram alimentação, água, clima… eles queriam saber o que estava fazendo as galinhas botarem duas vezes mais ovos do que antes. Tudo estava perfeitamente normal, foram dormir intrigados sem saber o que estava gerando esse “milagre da multiplicação dos ovos”.
A dúvida persistiu por algumas semanas, até que a pilha do rádio de Lucas acabou. Sem pilhas o menino não podia mais ouvir Mozart enquanto trabalhava, mas estava tranquilo pois havia comprado um novo conjunto de pilhas que estavam vindo pelo correio. Naquela semana, sem Mozart, as galinhas botaram apenas 10 ovos cada.
O mistério estava desvendado: ouvindo Mozart as galinhas relaxavam, e relaxadas botavam mais ovos. Esse era o segredo que deveria ser guardado a sete chaves.

galinha-executiva-criacao-riquezaO plano de guardar segredo estava funcionando. Mesmo produzindo o dobro, Tio Guido e Lucas continuaram vendendo seus ovos a $1, portanto faturavam o dobro. Como só eles tinham essa produtividade elevada o aumento da quantidade mal alterava o mercado, e eles conseguiram manter o preço mesmo vendendo mais. Esse é o “prêmio de inovação” que conseguiram sustentar por algumas semanas.

Os outros granjeiros começaram a desconfiar que algo estava estranho. Nas últimas semanas a Kombi do Tio Guido andava muito mais lotada, e agora com rodas de liga leve e um novíssimo aparelho de som. De onde vinham tantos ovos e dinheiro?
Intrigados, os concorrentes pagaram um investigador para ir à granja do Tio Guido à noite. Chegando lá, o gatuno não viu nada além de galinhas dormindo ao som de Mozart, fato que ele reportou a todos os concorrentes. Na semana seguinte todas as galinhas do país estavam ouvindo Mozart dia e noite, e naturalmente começaram a botar o dobro de ovos. Felizes, todos os granjeiros esperavam fazer fortuna assim como Tio Guido fez.

Chegou o final de semana, hora da feira. Assim como Tio Guido e Lucas, todo mundo levou duas vezes mais ovos do que o normal, vendendo cada unidade pelo mesmo $1 de antes. No entanto o dia terminou com a frustração generalizada, e não apenas do Tio Guido que teve seu segredo desvendado. Sobrou pouco menos do que metade dos ovos, que estragaram em alguns dias. Todas as galinhas botavam o dobro de ovos, mas quase metade acabava sobrando no mercado pois não havia compradores suficiente.

O problema agora era o seguinte, todos produziam o dobro mas boa parte do produto estragava. Como resolver?
Alguns diziam que deveriam queimar metade dos ovos, senão a indústria granjeira não sobreviveria. Outros mataram metade de suas galinhas ao invés de queimar os ovos. O governo de Pollândia, liderado por um economista de uma cidade próxima onde o quartel era cor de rosa, queria criar linha de crédito subsidiado para que os pollandenses pudessem comprar mais ovos.
Como termina essa história? Vou criar dois finais possíveis.

Desfecho 1: Novos clientes

Tio Guido deu sorte no começo, mas era um senhor inteligente. Ele se recusava a acreditar que a solução do impasse era fazer as galinhas produzirem menos, lembrando que seu pai passou a vida toda dizendo que era um absurdo acreditar que aumento de produtividade gerava desemprego. Produtividade gera conforto, e ele ia provar isso! Na manhã de sexta-feira ele alinhou uma estratégia arrojada com seu sobrinho: “Amanhã nosso ovo custará $0.75, desconto permanente de 25% no preço. Avise seus amigos e todo mundo que você encontrar na balada hoje à noite.
Lucas desconfiou que Tio Guido tinha enlouquecido com o cheiro de ovo podre — achava impossível alguém ganhar mais cobrando menos — mas sabia da inteligência do Tio Guido e resolveu arriscar. Convidou todo mundo e pediu que seus amigos chamassem o pessoal dos países ao lado. Todos gostavam de ovos, e por 25% de desconto valia a viagem de trem!

Na feira o sucesso foi geral. Os concorrentes, vendo que Tio Guido abaixou seu preço para $0.75 e vendeu o estoque em meia hora, seguiram os passos do gênio. Todo mundo agora cobrava $0.75, a feira tinha mais gente e, no final do dia, todos os ovos foram vendidos.
Cada cliente comprou os mesmos 10 ovos de sempre, mas ao invés de pagar $10 pela cesta, agora gastaram $7.50. Com o preço menor mais clientes surgiram, desde pessoas que não podiam comprar ovos a $1 até os habitantes dos países vizinhos que se interessaram pelo bom preço.

Desfecho 2: Todo mundo comendo mais

Tio Guido deu sorte no começo, mas era um senhor inteligente. Ele se recusava a acreditar que a solução do impasse era fazer as galinhas produzirem menos, lembrando que seu pai passou a vida toda dizendo que era um absurdo acreditar que aumento de produtividade gerava desemprego. Produtividade gera conforto, e ele ia provar isso! Na manhã de sexta-feira ele alinhou uma estratégia arrojada com seu sobrinho: “Amanhã nosso ovo custará $0.75, desconto permanente de 25% no preço. Mas não espalhe a notícia, vamos permitir que o pessoal da redondeza coma mais ovos como sempre sonharam.

Na feira o sucesso foi geral. Os concorrentes, vendo que Tio Guido abaixou seu preço para $0.75 e vendeu o estoque em meia hora, seguiram os passos do gênio. Todo mundo agora cobrava $0.75, e todos os ovos foram vendidos.
Cada cliente comprou os 13 ovos ao invés das costumeiras 10 unidades, gastando $9.75 pela cesta. Com os $0.25 que economizaram deu até para pagar a passagem de ônibus.

Analisando a história

Parece estranho, mas leitor você entendeu corretamente. Todo mundo ganhou, ninguém perdeu!
Os consumidores compraram o mesmo pagando 25% menos (desfecho 1), ou consumiram 3 ovos a mais pagando 3% a menos (desfecho 2). Isso foi possível pois o preço foi de $1.00 para $0.75 por unidade.
Ora, se o preço diminuiu os granjeiros perderam? Não, porque a produtividade das galinhas aumentou, eles passaram a disponibilizar 20 ovos por galinha ao invés dos anteriores 10. Mesmo cobrando $0.75 em vez de $1.00, a receita de vendas total ficou maior pois o dobro de $0.75 é maior do que $1, precisamente 50% maior.
As galinhas agora produzem o dobro, tranquilas ouvindo Mozart, com ar-condicionado e TV à cabo.

Não é milagre, não é imposição de preço, nem expansão de crédito, nem planejamento central. É produtividade em seu formato mais puro, criação de riqueza.
Que o leitor observe que não se trata de argumentação econômica ou ideologia, é matemática elementar.

Veja abaixo a tabela com os resultados obtidos por granjeiros e consumidores durante o processo:

 GRANJEIRO (por galinha)CONSUMIDORES (por pessoa)
# Ovos por SemanaR$/ovoReceita Total por Galinha# Ovos ConsumidosDespesa Total com Ovos
ANTES
(galinhas sem Mozart)
10$ 1.00$ 10.0010$ 10.00
DURANTE
(só as galinhas do Tio Guido ouviam Mozart)
20$ 1.00$ 20.00 (+100%)10$ 10.00
DESFECHO 1
(mais clientes, mesmo consumo individual, todos economizam bastante)
20$ 0.75$ 15.00 (+50%)10$ 7.50 (-25%)
DESFECHO 2
(mesmo número de clientes, todos comem mais, todos economizam um pouco)
20$ 0.75$ 15.00 (+50%)13 (+30%)$ 9.75 (-2.5%)

Desigualdade é intrinsecamente um problema?

A tabela acima mostra um efeito interessante. Observe que com o aumento da produtividade 1 granjeiro ganha mais do que 1 consumidor, mas dificilmente 1 granjeiro ganha mais do que todos os consumidores juntos. A desigualdade da sociedade aumentou, os granjeiros enriqueceram mais do que os consumidores individualmente.
Então pergunto: Você preferiria viver na sociedade anterior, mais igualitária onde ovos custavam $1, ou na posterior, mais desigual onde ovos custam $0.75?

Por isso amigo leitor, quando disserem para você que desigualdade é o mal do século XXI, lembre do exemplo das galinhas que ouviam Mozart. O problema não é a desigualdade, mas a pobreza.
Se o mundo fosse menos desigual, necessariamente o pobre ficaria mais rico? Não necessariamente. Perceba então que é mais importante entender os motivos da desigualdade profunda do que inferir, de forma errônea como vimos acima, que mais desigualdade necessariamente implica em mais pobreza.

Cultura criativa para uma nação rica, criação de riqueza para uma sociedade mais confortável

O exemplo acima é uma parábola extremamente simples, mas na vida real não é diferente. Quando um robô faz o trabalho pesado com mais precisão, ou trens percorrem o mesmo percurso na metade do tempo, enfim, quando algo passa a ser feito melhor do que anteriormente ocorre a criação de riqueza.
Essa riqueza, que se materializa como tempo livre ou aumento de qualidade, não desocupa pessoas. Pelo contrário, libera a mão de obra para que seja utilizada em outras atividades, aumentando a complexidade da economia e gerando produtos mais interessantes. Assim cresce uma economia saudável, onde seus habitantes podem experimentar dia após dia mais conforto.
O desafio é criar condições — ou deixar de criar dificuldades — para que todos participem desse processo, como funcionários, empreendedores e investidores. Perceba também que até aqui ninguém falou em Estado. Concluirei o texto sem mencioná-lo, não por acaso.

Continue Lendo

Economia segundo a Escola Austríaca O que é Economia sob o ponto de vista da Escola Austríaca? A economia é ação humana ao longo do tempo, nos mercados, sob condições de incerteza genuín...
No Money No Whey: uma análise do preço do Whey Protein importado no Brasil Por que o whey protein custa caro aqui no Brasil? São os altos impostos ou os lojistas que exageram na mão? Quem enfia a faca em quem?
Petrobras, a Enron brasileira? A Petrobras tem andado no Vale da Sombra da Morte, mas não foi a primeira, nem será a última. Nos EUA, a Enron também viveu suas emoções e hoje não ex...

Newsletter do Mercador

Receba conteúdo exclusivo por e-mail

Respeitamos sua privacidade e não mandamos spam. Você pode cancelar sua inscrição quando quiser.

Categorias: Economia

Tags: ,

Deixe um Comentário

2 Comentários em "Mozart e as galinhas: Um conto sobre Criação de Riqueza"

avatar
Ordenar por:   mais novo | mais antigo | mais votado
Leo
Visitante

Artigo recomendadíssimo. Nesse texto ele detona o mito de deflação ser prejudicial e ilustra como a produtividade é o maior programa social que um país pode ter.

wpDiscuz