CdM #8: “Eu faço dinheiro estudando a burrice humana”

“Alguns ficam ricos estudando inteligência artificial. Eu faço dinheiro estudando a burrice humana.” – Carl Icahn via Twitter

Carl Icahn twitter

Observando a frase acima temos a certeza de que o senhor Carl só não se tornou o homem mais rico do mundo pois nasceu nos Estados Unidos. Se o lucro dele é proporcional à burrice humana, o Brasil é o lugar onde ele deveria ter passado seus dias na última década. Me parece que os EUA estão se esforçando para nos alcançar, entretanto lá há muito mais lenha para queimar antes de terminarem nus no inverno como nós ora estamos.

eleitor burro Quando garoto eu associava burrice humana a dúvidas, burro seria quem não tivesse resposta fechada para todas as perguntas direcionadas a si. Hoje observo que poucas perguntas possuem respostas definidas, ou mesmo que perguntas semelhantes feitas a pessoas diferentes tenham sempre uma mesma resposta.
Talvez o melhor seja que cada um resolver seus próprios questionamentos individualmente, pois há duas coisas que não existem: Papai Noel e consenso. Tenho dúvidas com relação ao primeiro, mas as reuniões de condomínio me provaram que o segundo nunca houve na humanidade. Se não conseguimos deliberar sobre cobertura de vagas de estacionamento e rateio de gás entre 50 pessoas, jamais organizaremos 200 milhões.

A nova fase da manifestação equina é o cuspe, a intolerância se materializou em catarro, enlouquecemos de vez. Alguns apostaram em uma guerra civil, mas sequer saíram nos tapas; talvez fosse mais honroso trocar uns pontapés do que cuspirmos uns nos outros nos restaurantes.
No fim do dia resta a hipocrisia. Elegem um palhaço e querem seriedade na política. Ninguém quer dividir o seu, só o dos outros. Viver do ódio só cria débeis e oportunistas, chaga do vitimismo, um mundo onde ninguém é responsável mas todos devem se sentir culpados. Veja o que nos sobrou dos esquerdistas, éramos a promessa hoje somos a piada. Loucos acadêmicos ainda defendem essa estrutura maquiavélica que se dizia do povo e pelo povo, bradando o popular e depois passeando de jato fretado. Esperam que a República seja salva por bandidos, que o problema se resolva pelas mãos dos próprios responsáveis.
Uma vez li que o ser humano não é igualitário, seja pela preguiça, seja pela ambição. Igualar os desiguais é uma forma de acomodar a vontade do ser humano de ter identidade, é transformar pessoas em índices e em massa de manobra. Quem puder cresça e se destaque, quem não puder que pelo menos não seja incomodado para que viva com decência. Ao Estado cabe a segurança e o cumprimento das Leis, administrar o país como quem administra um condomínio e não seus condôminos. O resto é mudança de dono do poder.
Não sei para onde vamos, mas pelo menos consigo entender como chegamos até aqui. Ostento essa capacidade com grande honra.

“O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, enquanto os idiotas estão cheios de certezas.” – Bertrand Russell

Continue Lendo

CdM #19: Discordar é viver, ao meu amigo JP Às vezes em meio aos ringues armados, principalmente em terreno digital, eu fico impressionado com algumas coisas que leio. Eis aqui uma delas.
Net Cafe Refugees A casa deles é a Lan House, mas não por opção. Quem são os Net Cafe Refugees?
CdM #17: Chapecoense imortal Uma tragédia sem precedentes vitimou a equipe da Chapecoense, retirando-os da vida para imortalizá-los na história.

Newsletter do Mercador

Receba conteúdo exclusivo por e-mail

Respeitamos sua privacidade e não mandamos spam. Você pode cancelar sua inscrição quando quiser.

Categorias: Coluna do Mercador

Tags:

Deixe um Comentário

Seja o primeiro a comentar!

avatar
wpDiscuz